Retrato de un joven sosteniendo un medallón - Sandro Botticelli - KUADROS
0 Comente

Retrato de um jovem segurando um medalhão - Sandro Botticelli

Faz parte da magia de certas imagens o facto de transportarem o público, como se estivessem numa máquina do tempo, diretamente para o local e a época em que foram feitas. No caso do retrato de Botticelli, Jovem segurando um medalhão, pintado por volta de 1480, o lugar é Florença e o tempo é aquele período vibrante do início do Renascimento associado a Lorenzo de 'Medici, ou Lorenzo, o Magnífico, como lhe chamavam os seus contemporâneos. O pintura A pintura de Botticelli está tão profundamente imbuída do espírito da Florença do século XV que não poderia ter sido pintada noutro lugar.

Quando falamos do início do Renascimento, vêm-nos certamente à mente grandes mestres, mas sobretudo o pintor florentino Sandro Botticelli, cujo nome de batismo é Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi. Os seus magníficos pinturas As suas magníficas obras, realizadas no final do século XV, foram a razão pela qual muitos dos mais ricos mecenas de toda a Europa compraram o seu trabalho. As suas pinturas As suas obras previram técnicas futuras que seriam utilizadas pelos grandes mestres seguintes, como Leonardo da Vinci. O seu trabalho religioso foi especialmente adorado pela Igreja Católica, bem como a pintura de muitos outros temas para outros públicos, provando que, como artista, era também um artista habilidoso e incrivelmente versátil.

Nenhum outro pintor da época consegue evocar a idade de ouro do Renascimento florentino de forma tão poderosa. A sua Nascimento de Vénus e o Alegoria da primavera estão entre os obras mais famosas do mundo antigo. As suas ninfas, deusas, madonas e santos transportam-nos para o renascimento da ciência, da arte e da literatura que teve lugar num local que é considerado o início do mundo da arte moderna.

Compreender muitas das teorias sobre a sua obra ajuda-nos a tentar perceber porque é que algumas das suas obras sobreviveram e outras não, ajuda a contextualizar porque é que a obra de Sandro Botticelli é valorizada. Em janeiro de 2021, a leilão um dos seus retratos mais importantes, o Retrato de um jovem segurando um medalhãoum dos retratos mais importantes alguma vez vendidos em leilão.

Foi no início da Renascença em Itália que os retratos de personagens nobres passaram a ser considerados arte de alta qualidade. O mestre florentino Sandro Botticelli esteve na vanguarda desta transformação, retratando os seus súbditos na segunda metade do século XV com uma franqueza e uma perspicácia nunca antes vistas.

A representação de indivíduos isolados estava na moda na altura. Esta tendência teve origem no norte da Europa, criada pelos grandes mestres flamengos.

O Retrato de um Jovem Segurando um Medalhão, de Botticelli, é a representação da magia e da beleza do período renascentista em Florença. Foi a primeira vez que o indivíduo desempenhou um papel tão importante desde a Antiguidade e foi colocado no centro da vida e da arte, o que acabaria por definir a nossa compreensão do humanismo tal como o conhecemos hoje. Botticelli esteve sempre na vanguarda deste movimento e, graças ao seu estilo revolucionário, tornou-se um dos primeiros artistas a abandonar o estilo da época, que consistia em pintar modelos de perfil. 

Botticelli pintou o Retrato de um jovem segurando um medalhão entre o final da década de 1470 e o início da década de 1480, de acordo com uma declaração da casa de leilões Sotheby's.

O retrato Retrato de um jovem segurando um medalhão está registado na coleção de Lord Newborough em Caernarfon, País de Gales, na década de 1930. Pensa-se que foi adquirida pelo seu antepassado Sir Thomas Wynn, o primeiro Lord Newborough, quando este vivia na Toscânia. Parece ter estado numa sala desconhecida do mundo, sem qualquer reconhecimento da sua importância. Foi comprada por um particular que a vendeu a um colecionador privado, cujos herdeiros a venderam em leilão ao atual proprietário em 1982 por apenas £810.000. Nos últimos 50 anos, foi emprestada à National Gallery de Londres, ao Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque, à National Gallery of Art de Washington e ao Städel Museum de Frankfurt.

Esta pintura de Botticelli tem uma caraterística muito marcada: é considerada intemporal, porque é moderna, tem cores muito marcantes e uma linha gráfica.

Este retrato distingue-se de todos os outros retratos da época pela forma como Botticelli pintou o seu modelo, que segura um pequeno círculo, um pequeno pedaço de um pintura completamente diferente.

Esta adição invulgar à obra foi estudada pelos estudiosos durante muitas décadas. Colocada com grande cuidado na tela, a pequena obra representa um santo idoso, de longas barbas, enquadrado num fundo dourado.

A questão seria saber quando e porquê foi acrescentado o medalhão. Stapleford argumentou no seu estudo de 1987 que o medalhão é "original da pintura". Mas o historiador de arte Keith Christiansen sugeriu que o medalhão era uma "adição moderna" que substituiu um relevo de estuque danificado. Como Brown disse ao The Guardian, alguns académicos argumentaram que a inclusão do santo idoso se destina a realçar a relativa juventude e beleza do modelo.

A figura no medalhão é uma obra original do século XIV, a maioria dos investigadores atribuem-na ao pintor de Siena Bartolommeo Bulgarini, que esteve ativo um século antes de Botticelli pintar o seu retrato. O significado deste impressionante dispositivo deve estar relacionado de alguma forma com a identidade do jovem e belo nobre que o exibe com tanto orgulho.

Os estudiosos especulam e contradizem-se quanto à identidade do retratado, mas há uma versão, embora com poucas provas, de que se trata de Giovanni di Pierfrancesco de 'Medici, cujo primo em segundo grau, Lorenzo, o Magnífico, era uma das pessoas mais poderosas e importantes que apoiavam o pintor. Botticelli fez o seu melhor para retratar o jovem como o pináculo dos ideais de beleza do Renascimento. Estudos de raios X do pintura mostram que o artista traçou cuidadosamente as feições do homem nos desenhos inferiores, além de ter revisto vários aspectos da imagem. pintura.

Não sabemos ao certo a identidade do modelo, mas podemos especular um pouco e dizer que este pormenor também pretendia dizer algo sobre ele como pessoa. Terá sido esta a forma de Botticelli sugerir que os pensamentos do jovem estavam dirigidos para Deus e não para este mundo?

Talvez os modelos nobres de Botticelli fossem conhecidos no meio da época, mas é certo que muitas das identidades se perderam com o tempo.

Embora modesto e contido, o vestuário do jovem cavalheiro é claramente muito fino, e o seu comportamento elegante e contemplativo simboliza as filosofias neoplatónicas e humanistas que definiam a cultura da elite florentina.

Retrato de um jovem segurando um medalhão de Botticelli tem as características de um homem ligado ao mundo dos livros; o seu olhar agudo e os seus dedos longos e finos sugerem-no. Mas também podemos dizer que poderia pertencer ao mundo da sociedade mercantil ou da banca financeira, provavelmente nunca o saberemos. Mas o facto de se ter mandado pintar diz-nos que era um intelectual, um humanista e um florentino de classe alta.

Apesar de tudo isso, o que nos mostra é a imagem sagrada de um santo, talvez o seu nome sagrado, que ele cunhou com tanta delicadeza como se fosse uma relíquia sagrada.

Este retrato possui um ideal de beleza masculina intrigantemente complexo. É de notar que, quando Botticelli pintou este quadro, a experiência de ver a sua própria figura era extremamente desconhecida para a maioria das pessoas. Os espelhos eram artefactos muito raros, pelo que a ideia de ter a sua própria imagem estava apenas a começar a ganhar força. Os retratos de homens do início do Renascimento tendiam a realçar mais o poder do que a beleza: os modelos eram pintados como rudes em vez de bonitos. 

O jovem de Botticelli é revolucionário porque foi admirado no seu tempo e é admirado atualmente pela sua beleza e não pela sua rudeza.

Mas o que é mais aclamado nele, apesar do cabelo impecável, da tez clara, do nariz cinzelado, dos lábios franzidos e do queixo esguio e enérgico, é o ar de autocontrolo nos seus olhos. Como se quisesse sublinhar, o modelo de Botticelli afasta-se dos modelos renascentistas, que posavam de perfil; agora, o Retrato de um Jovem Segurando um Medalhão olha diretamente para os nossos olhos. 

Este novo estilo tornar-se-á em breve uma convenção renascentista: Leonardo da Vinci adoptou-o quando pintou o seu retrato mais famoso (o retrato mais famoso do mundo), a Mona Lisapor volta de 1503-17.

Os retratos são um dos tesouros mais valiosos que a arte possui, são expressões criadas pelos antigos mestres para realçar a importância do ser humano, que conseguiram imortalizar muitos.

O nosso jovem tem hoje 550 anos, mas parece que poderia ter entrado nas nossas galerias esta manhã; é uma verdadeira beleza para todas as idades. É uma pintura que transcende os limites normais do género Antigo Mestre e é um dos retratos clássicos renascentistas mais bem conservados e requintados do mundo da arte.

Façamos agora uma pausa para admirar este quadro famoso e deslumbrante.

 

Compre uma réplica a óleo do Retrato de um jovem segurando um medalhão, de Sandro Boticelli

KUADROS ©a pintura famoso na sua parede.

Copias de cuadros famososCuadros famososCuadros onlineRéplicas de cuadros famososReproducción de cuadros famososReproducción de pinturas al óleo

Deixe um comentário

Uma bela pintura religiosa na parede da sua casa

A Crucificação
Preço de vendaDe 3.520,00 Kč
A CrucificaçãoAlonso Cano
pintura Jesus rezando en Getsemaní - Kuadros
Preço de vendaDe 2.234,00 Kč
Jesus Orando Em GetsemaníKuadros
pintura Bendición de Cristo - Rafael
Preço de vendaDe 2.471,00 Kč
Bênção De CristoRafael